O que fazer quando a taxa SELIC aumenta ou cai?

Em Educação financeira por André M. Coelho

Os investidores acompanham as taxas de juros de perto e cuidadosamente. Em alguns casos, as altas taxas de juros são boas notícias – como quando um investidor espera um retorno de uma conta financeira de alto rendimento ou veículo de investimento.

Em outros casos, as taxas de juros podem prejudicar ou ajudar no desempenho de uma carteira. Nesses casos, os investidores vão querer estar preparados para mudanças repentinas do mercado.

Como o Banco Central está sempre fazendo mudanças nas taxas de juros, é aconselhável que os investidores estejam cientes de todas as implicações. E isso implica em estratégias tanto

Abaixo, listamos o que fazer tanto para cenários de taxas de juros aumentando, quanto cenários de taxas de juros baixando.

O que fazer quando a taxa SELIC aumenta?

A melhor “alavancagem” que você pode obter para proteger sua carteira de um ambiente de taxa de juros crescente é trabalhar com gerentes de renda fixa que entendem a arte e ciência por trás disso. Ou monitorar elas bem de perto para buscar o melhor desempenho.

Depois disso, você deve acompanhar outras importantes questões.

1. Olhe para instrumentos fixos.

Considere anuidades fixas diferidas de companhias de seguros altamente classificadas. Leia e compreenda os prós e contras desses instrumentos. Alternativamente, compre versões individuais e mantenha-as até a maturidade.

2. Busque uma hipoteca de juros baixos.

Bloqueie em uma hipoteca a longo prazo por uma baixa taxa de juros antes de subir. Não há tempo como o presente, e é improvável que haja um momento melhor no futuro próximo do que agora. A principal coisa é garantir uma taxa de juros menor.

3. Explore o setor utilitário

O setor utilitário (água, luz, esgoto, gás natural, etc) mostrou resiliência em mercados com o aumento dos juros. Como resultado, muitos esperam que as concessionárias ofereçam uma oportunidade para compensar as taxas de juros crescentes. No entanto, o desempenho passado não é indicativo de resultados futuros.

Taxa SELIC

Se a taxa SELIC aumentar ou cair, é importante que sua carteira esteja devidamente ajustada para não causar prejuízos. (Imagem: divulgação)

4. Tenha equidade na sua carteira

As taxas de juros crescentes não só prejudicarão as participações de renda fixa, mas também podem fazer com que seus retornos de carteira sejam insuficientes para manter o poder de compra. Você não pode pensar em títulos como investimentos “seguros”. Porque normalmente não flutuam tanto quanto as ações, elas podem ser um risco ainda maior quando se trata de alcançar seus objetivos.

5. Jogue o longo jogo

As taxas de juros estabelecidas pelo BC são um macro-evento. As alterações nas carteiras micro-eventos. Nenhum investidor pode controlar a macroeconomia. Em vez disso, as carteiras devem ser construídas para suportar – mesmo aproveitar as alterações macroeconômicas. Investidores inteligentes jogam o longo jogo adotando um plano financeiro que antecipa essas mudanças.

6. Continue investindo e diversificando seus fundos

Como investidor, você nunca quer que o dinheiro simplesmente se sente em sua conta bancária desinvestida – mesmo com as taxas de juros crescentes. Em vez disso, continue investindo e diversificando seus fundos. Com uma carteira adequadamente diversificada, você pode proteger suas finanças da inflação, crescendo através de vários investimentos.

7. Não faça uma mudança de estratégia baseada no medo.

Não mude sua estratégia de investimento baseada apenas no medo das taxas de juros mudando. Se o seu negócio é 100% predicado na mudança de taxas de juros, como empréstimos, imóveis e assim por diante, sua estratégia de negócios já inclui isolamento para alterar as taxas de juros. Siga sua estratégia para altas taxas exatamente como você fez por baixas taxas. Fazer mudanças drásticas no medo leva ao fracasso.

O que fazer quando a taxa SELIC baixa?

Embora o impacto das baixas taxas de juros não seja uma ciência exata, existem certos padrões para antecipar quando investir. Alguns dos temas mais comuns para esperar durante os tempos de baixas taxas de juros incluem:

1. Aproveite os imóveis

Os preços e os preços da propriedade tendem a subir. Como as taxas de depósito bancário diminuem, os investidores procuram por ações e propriedades para retornos mais atraentes e para gerar renda. O aumento da demanda empurra os preços das ações e os preços de propriedade mais altos.

2. Invista em títulos

Os preços dos títulos aumentam. Enquanto as taxas de juros caem, a renda ou o rendimento de títulos geralmente também cai. Menores rendimentos resultam em preços de títulos mais altos

3. Gastos domésticos aumentam

Baixas taxas de juros não gostam dos poupadores, incentivando as famílias a gastarem seu dinheiro para estimular a economia. Além disso, o custo dos gastos via empréstimos pessoais, empréstimos comerciais e cartões de crédito reduzem. Isso aumenta a probabilidade de negócios e gastos pessoais.

4. Atividades de exportação

Atividade de exportação aumenta. Com o valor reduzido do real, isso torna os bens nacionais mais baratos e mais procurados internacionalmente; Aumenta o fluxo de dinheiro para a economia brasileira e cria empregos. Importações, inversamente, caem.

Cuidado com juros e aposentadoria

Para aposentados e pré-aposentados cujo objetivo é preservar o capital construído ao longo dos anos e gerar renda para financiar seu estilo de vida, um portfólio defensivo em um ambiente de juros baixos pode significar que os retornos de investimento não cobrem as necessidades de renda, o impacto da inflação, e mais o longo prazo o potencial para o seu dinheiro acabar.

Orçamento, planejamento e implementação de estratégias de carteias de investimento são úteis para mitigar o risco de longevidade, ou o risco de perder seu capital.

Se você tiver alguma dúvida sobre qualquer um dos assuntos acima, não hesite em entrar em contato com a gente pelos comentários abaixo!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

Crédito ou débito? Esta é uma pergunta quase sempre feita ao se pagar com cartão mas é uma questão também comum na vida de muitos brasileiros. Com mais de 300 horas em cursos de finanças, empreendedorismo, entre outros, André formou-se em pedagogia e se especializou em educação financeira. Dá também consultorias financeiras e empresariais quando seus clientes precisam de ajuda e compartilha conhecimentos aqui neste site.

Aviso legal

O conteúdo apresentado no site é apenas informativo com o objetivo de ensinar sobre o funcionamento do mundo financeiro e apresentar ao leitor informações que o ensine a pensar sobre dinheiro. O site Crédito ou Débito não faz recomendações de investimentos e em nenhuma hipótese pode ser responsabilizado por qualquer tipo de resultado financeiro devido a práticas realizadas por seus leitores.

Deixe um comentário