Comprar coisas no exterior usando cartões de crédito era sempre algo não muito barato para os brasileiros, então cartões pré-pagos, cheques de viagem e cartões de débito eram melhores opções para comprar produtos fora do Brasil. Mas, até o final de 2013, o governo do país anunciou que a mesma alíquota do IOF cobrada sobre operações de cartão de crédito no exterior deveria ser expandida para esses outros métodos de pagamento.

O anúncio não deixou os brasileiros felizes. Mas o que é esse IOF cobrado em algumas transações financeiras?

O que é o imposto IOF?

O IOF é o imposto cobrado sobre operações financeiras e avaliado em diferentes tipos de eventos. Foi criado na Reforma Tributária de 1996 para substituir o Imposto sobre Transferências para o Exterior, que costumava tributar apenas as operações bancárias. Com o IOF, as operações financeiras passaram a ser também alvo de impostos, como seguros, crédito, títulos e operações de câmbio. Para cada operação, uma taxa de imposto diferente deve ser usada. As taxas variaram ao longo dos anos, dependendo das necessidades econômicas do país.

Definição do IOF como um imposto regulador

Sendo a abreviação de Imposto sobre Operações Financeiras, é óbvio que o imposto é cobrado em transações de crédito, mas qual é a sua função? Segundo o governo brasileiro, o IOF é um imposto regulatório, assim como o IPI (imposto sobre produtos industrializados), II (imposto de importação) e IE (imposto sobre a exportação). O IOF tem como função principal regular a atividade econômica do país. Por sua coleção, é possível conhecer a situação da oferta e demanda de crédito no Brasil.

Taxa de iof

Sendo um imposto regulatório, o IOF está sempre sujeito a mudanças, dependendo da situação econômica do país. Por exemplo, em dezembro de 2013, o governo brasileiro anunciou um ajuste na alíquota do imposto. A alíquota de 0,38% que incidia sobre os cartões de débito pré-pagos, saques no exterior e cheques de viagem aumentou para 6,38%, o que equivale a um aumento de 1,579%.

Pagamento do IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras, IOF, é pago para algumas transações no Brasil, e não é muito fácil fugir de seu pagamento. (Foto: techtudo.com.br)

Taxas de IOF antes do ajuste e com o novo ajuste

0,38%

  • Compra de moeda estrangeira
  • Cartões de débito pré-pagos
  • Retirada de moeda estrangeira no exterior
  • Traveler’s checks

6,38%

  • Cartões de Crédito
  • Cartões de débito pré-pagos
  • Retirada de moeda estrangeira no exterior
  • Traveler’s checks

Sou obrigado a pagar o IOF?

Sim, você precisa pagar o IOF. O que você pode fazer é conseguir um desconto nas taxas cobradas para as transações e nas operações de câmbio, usando um serviço como os oferecidos pela TransferWise.

Com relação aos métodos de pagamento, os economistas continuam afirmando que, apesar das mudanças na IOF, o cartão de débito pré-pago e serviços como o TransferWise são ainda mais recomendáveis do que os cartões de crédito para compras internacionais. Mesmo que o cartão de débito tenha perdido a vantagem tributária com o aumento da taxa, suas outras vantagens ainda estão em vigor:

Vantagens de cartões pré-pago e da TransferWise

Primeiro, a segurança: É melhor carregar apenas um cartão ou usar serviços online de transferência de dinheiro do que viajar com grandes quantidades em dinheiro.

Em segundo lugar, com o débito é possível sacar dinheiro em todas as partes do mundo e também efetuar o pagamento por cartão, portanto, há duas funcionalidades em apenas um instrumento de pagamento. Com a TransferWise, você pode receber o dinheiro em qualquer lugar do mundo, com poucas taxas.

Em terceiro lugar, quando o cartão de débito pré-pago está sendo carregado, o proprietário sabe exatamente a conversão de moeda que está pagando. Com cartões de crédito, isso não acontece. A conversão usada nas compras com cartão de crédito é realizada de acordo com a cotação diária da data de emissão da fatura do cartão de crédito.

Como você faz transferências de dinheiro? Quais ferramentas usa para evitar o IOF?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)