Ações ordinárias são muito conhecidas no mercado financeiro, e devem fazer parte do vocabulário de qualquer investidor. O uso de ações ordinárias pode contribuir para a diversificação apropriada de uma carteira, evitando alguns riscos e ajudando a formar uma presença mais forte na Bolsa de Valores, com uma posição melhor consolidada.

O que são ações ordinárias?

Ações ordinárias são uma segurança que representa a propriedade de uma corporação. Os detentores de ações ordinárias exercem controle elegendo um conselho de administração e votando na política corporativa. Os acionistas comuns estão na parte inferior da escada prioritária para a estrutura de propriedade; no caso de liquidação, os acionistas ordinários tem direitos sobre os ativos da empresa somente depois que os obrigacionistas, acionistas preferenciais e outros detentores de dívidas sejam pagos integralmente.

Com ações ordinárias, se uma empresa for à falência, os acionistas ordinários não recebem seu dinheiro até que os credores e os acionistas preferenciais tenham recebido sua respectiva parte dos ativos remanescentes. Isso torna os papéis comuns mais arriscados do que dívidas ou ações preferenciais. A vantagem das ações ordinárias é que elas geralmente superam os títulos e ações preferenciais no longo prazo. Muitas empresas emitem todos os três tipos de títulos.

A primeira ação orfinária foi criada em 1602 pela Companhia Holandesa das Índias Orientais e introduzida na Bolsa de Valores de Amsterdã. Em 2016, existem mais de 4.000 ações negociadas nas principais bolsas de valores e mais de 15.000 negociadas no mercado de balcão. As ações maiores baseadas no Brasil são negociadas em uma bolsa pública, como a Bolsa de Valores de São Paulo. Há também várias bolsas internacionais para ações estrangeiras, como a Bolsa de Valores de Londres ou a Bolsa de Valores do Japão.

Definição de ações ordinárias

Entenda as ações ordinárias e o papel delas em uma carteira de investimentos diversificada. (Foto: Zoid Research)

Como funciona a emissão de ações ordinárias?

Para uma empresa emitir ações, ela deve começar com uma oferta pública inicial. Um IPO é uma ótima maneira para uma empresa que busca capital adicional se expandir. Para iniciar o processo de IPO, uma empresa deve trabalhar com uma firma de investimento bancário de subscrição, o que ajuda a determinar o tipo e o preço da ação. Após a conclusão da fase de IPO, o público em geral tem permissão para comprar a nova ação no mercado secundário.

Por que investir em ações ordinárias?

As ações devem ser consideradas uma parte importante do portfólio de qualquer investidor. Elas carregam uma quantidade maior de risco quando comparados aos CDs, ações preferenciais e títulos. No entanto, com o maior risco, surge o maior potencial de recompensa. No longo prazo, as ações tendem a superar outros investimentos, mas estão mais expostas à volatilidade no curto prazo.

Existem também vários tipos de ações. As ações de crescimento são empresas que tendem a aumentar em valor devido a ganhos crescentes. As ações de valor são empresas de menor preço em relação aos seus fundamentos. As ações de valor oferecem um dividendo ao contrário das ações de crescimento.

As ações são categorizadas por capitalização de mercado em grande, médio ou pequeno. As ações de grande capitalização são muito mais negociadas e são uma indicação de uma empresa mais estável. As ações de pequena capitalização são empresas mais novas que buscam crescer, por isso são muito mais voláteis em comparação com as grandes empresas.

Ficou alguma dúvida sobre as ações ordinárias? Deixe nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)