Para contratar um funcionário no Brasil, é importante considerar que há alguns custos envolvidos, como férias pagas, taxas governamentais e outros. A maioria deles não são valores que o funcionário receberá diretamente todos os meses, mas é responsabilidade da empresa economizar o valor específico ou pagá-lo ao governo em nome do funcionário.

Além disso, no Brasil, a empresa tem que pagar uma férias por ano ao empregado, pois este será um custo de um mês inteiro de trabalho do empregado (1 mês de salário) + 1/3 do salário quando o empregado sair de férias.

Abaixo, vamos passar pelos custos que a empresa precisa pagar diretamente ou em nome do empregado:

Quanto custa um empregado?

1/12 Férias: isso faz parte do valor que o funcionário não recebe diretamente (a empresa o coloca em uma conta separada), a menos que o empregado seja demitido. Quando o empregado está na empresa há 1 ano (= 12/12) ele tem o direito de receber férias integrais e a empresa precisa do seu salário mensal mais 1/3 do salário. Se o empregado for demitido antes de completar 1 ano sem férias, ele recebe o número de meses dividido por 12 como férias.

Exemplo: O empregado trabalhou 9 meses e foi demitido, por isso receberá 9/12 + 9/12 referente ao 1/3 das férias.

1/3 Férias: No mês das férias do empregado, ele deve receber 1/3 do seu salário mensal.

1/12 de 13º Salário: Sempre no final do ano, a empresa paga um salário extra ao empregado (neste caso, não pode ser pago mensalmente).

Exemplo: se o mês de dezembro chegar e o funcionário estiver trabalhando nos últimos 6 meses, será calculado 6/12 (relacionado ao salário do empregado) e o empregado receberá este valor. o mesmo se aplica se o empregado for demitido.

FGTS (8%): ​​É um depósito mensal, correspondente a um percentual de 8% do salário do empregado, que o empregador é obrigado a depositar na conta bancária em nome do empregado que deve ser aberto na Caixa Econômica Federal. Banco.

Parte do INSS em férias e 13º salário: é 1/12 dos 20% do salário do empregado.

INSS sobre Salário: 20% do salário do empregado (Se 20% do salário estiver acima de R $ 608,44, a empresa pagará apenas R $ 608,44, já que este é o limite).

Vale Transporte: Vantagem obrigatória. Se o funcionário mora a mais de um quilômetro do escritório, é obrigatório que a empresa pague o transporte. O cliente tem a opção de receber o comprovante de transporte e ter 6% do salário deduzido ou optar por não receber o comprovante de transporte e não ter nada do salário deduzido. Decidir ter ou não ter o comprovante de transporte dependerá do salário.

Vale Refeição: Benefício obrigatório. Cada empresa possui uma Convenção Coletiva, que é um acordo entre sindicatos e empregadores. Este documento estipula o valor mínimo que os funcionários devem receber pelos vales-refeição.

Quanto custa um funcionário para a empresa: deduções do salário

Abaixo, passaremos pelos custos diretos que serão deduzidos mensalmente do salário do empregado, mas que devem ser repassados ou mantidos pela empresa.

Vale Transporte (6%): 6% do salário do empregado é deduzido. Se o empregado tiver um salário alto (um no qual 6% seria maior do que o valor gasto com transporte), o funcionário pode optar por não ter o comprovante Transporte e a dedução de 6%.

INSS Retido (8% a 11%): É descontado de 8% a 11% do salário do empregado para a arrecadação da contribuição previdenciária dos contribuintes individuais, o percentual depende do salário do empregado.

IRRF: Salário líquido abaixo de valor estabelecido pela Receita não precisa pagar. Para os salários acima deste valor, é necessário verificar a tabela.

União: O funcionário precisa pagar um dia de seu salário ao Sindicato ao qual pertence sua posição. Não é mais obrigatório.

Custos de funcionários

Analise os custos dos funcionários para planejar financeiramente sua empresa. (Foto: 7Geese)

Exemplo de custo de empregado pela CLT

Exemplo 1: salário bruto de R$1.500

O custo total do empregado para a empresa será de R $ 736,67 por mês, desconsiderando o salário. O salário líquido que o empregado receberá será de R$1.285,83.

Exemplo 2: salário bruto de R$3.000

O custo total do empregado para a empresa será de R$1.473,33 por mês, desconsiderando o salário. O salário líquido que o empregado receberá será de R$2.481,67.

Exemplo 3: Salário bruto de R$6.000

O custo total do empregado para a empresa será de R$2.305,81 por mês, desconsiderando o salário. O salário líquido que o empregado receberá será de  $4.963,33.

Nota importante: quando o empregado é demitido da empresa, há um valor que precisa ser pago a ele pelo tempo que ele trabalhou na empresa. Então, esse é o valor que será pago pelo funcionário quando ele for demitido.

Diferentes regimes tributários de empresa, como SIMPLES e MEI podem ter valores diferentes. Porém, esses são os custos básicos de um empregado na CLT.

Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários sua pergunta!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)