Este artigo fornece uma visão geral do Boleto Bancário, as soluções mais populares para pagamentos de faturas no Brasil. Além disso, daremos dicas de como você pode fazer um boleto para realizar cobranças de clientes, amigos, e até de familiares com facilidade. Sem mais delongas, vamos então aos boletos?

O que é um boleto bancário?

O Boleto Bancário está intimamente relacionado ao Sistema de Pagamentos Brasileiro, também conhecido como SPB.

O Sistema de Pagamentos Brasileiro é um conjunto de procedimentos, regras, instrumentos e operações integradas que suportam eletronicamente transações financeiras entre agentes econômicos e o mercado brasileiro. Destina-se à proteção contra vazamentos e contra o colapso de instituições financeiras.

Sua principal tarefa é permitir a transferência de recursos financeiros, o processamento e a liquidação de pagamentos para pessoas físicas, jurídicas e instituições governamentais.

O Boleto Bancário é um documento financeiro, um tipo de fatura emitida por um banco ou instituição financeira que permite que seu cliente pague o valor exato especificado à parte receptora (comerciante). Desde que dentro do prazo, o seu cliente poderá usar uma loteria, supermercados, correios, home banking, além de qualquer agência bancária no território brasileiro.

Os principais personagens envolvidos nessa cobrança são a Instituição Financeira, o Comerciante e o Cliente do Comerciante, ou “sacado”.

  • Instituição financeira: responsável pela emissão e cobrança com base em acordo entre o comerciante e ele próprio. O banco, uma vez autorizado a cobrar o pagamento pelo comerciante, creditará o valor devido pelo cliente na conta bancária do comerciante.
  • Sacado (cliente): a entidade individual ou corporativa que paga o boleto.
  • Cedente (comerciante): a entidade individual ou corporativa que emite o boleto e cuja conta será creditada.

Partes de um boleto bancário

Código de barras: um código que consiste em um grupo de barras impressas e com diversos padrões (sempre com 103 mm de comprimento e 13 mm de altura) e espaços e, por vezes, números projetados para serem digitalizados e lidos por um scanner a laser digital e que contêm informações para identificar a objeto que rotula.

Campo de identificação: representação numérica do código de barras contém todas as informações necessárias para identificar a conta bancária do Cedente e permitir a liberação. Este campo é usado em serviços bancários domésticos e de autoatendimento.

Nosso número: no canto superior direito da Ficha de Compensação, nosso número será inserido de acordo com as regras estabelecidas por cada instituição financeira. O número permitirá a identificação de um boleto para o setor de cobrança.

O campo de identificação deve estar à direita do número de identificação bancária. Em caso de problemas com a leitura do código de barras, o campo de informações será usado em seu lugar.

Como gerar um Boleto Bancário?

Qualquer pessoa que tenha uma conta em uma instituição financeira pode emitir um boleto bancário pelo banco, mas aqui estão alguns aspectos que você deve ter em mente para começar:

Sua instituição financeira precisará autorizar sua conta para emitir boleto bancário.

As instituições financeiras têm esquemas de preços diferentes, portanto você terá que escolher um que corresponda ao volume que planeja emitir.

Algumas instituições têm políticas muito rígidas para indivíduos que desejam emitir boleto bancário.

Ter uma conta em serviços como PagSeguro, PayPal ou Mercado Pago pode te possibilitar gerar boletos.

Lembre-se, porém, que tarifas podem ser cobradas tanto nos serviços citados quanto em instituições financeiras.

Boletos bancários

Gere boletos para realizar cobranças fáceis e que podem ser pagas com segurança. (Foto: Associação Brasileira de Golfe Sênior)

Tipos de boletos bancários

Alguns bancos permitem que seus clientes escolham entre dois tipos de cobrança: registrada e não registrada.

A coleta registrada consiste no envio antecipado de informações de cobrança ao banco por meio de um arquivo de comandos de coleta de vários tipos – os mais comuns são CNAB e / ou FEBRABAN – para permitir serviços adicionais, como impressão e envio de boletos, ferramentas de relatórios, controle de cobrança, status de pagamento e alterações para mencionar algumas.

Alguns bancos usam os padrões CNAB 400 e outros usam o FEBRABAN 240, e outros ainda usam os dois. Alguns bancos terão seus próprios layouts. Para fazer a cobrança, o Cedente (Comerciante) deve enviar o arquivo apropriado ao seu banco. O tipo de arquivo aceito para a conta do comerciante deve ser informado pelo gerente da conta bancária.

A cobrança não registrada implica o recebimento de contas sem registro prévio no sistema bancário, o que significa que a instituição financeira receberá os pagamentos devidos, creditará a conta apropriada e deduzirá as taxas de cobrança bancária. O Comerciante pode emitir seus próprios boletos, especificando o banco e qualquer outra informação que julgar necessária. O banco, por meio de arquivos magnéticos, arquivos ou outros, transmitirá informações de fatura e pagamento ao Comerciante.

Como pagar um boleto?

O processo de pagamento para transações com o Boleto Bancário é semelhante a muitos outros métodos de pagamento. É um pagamento por ordem do consumidor, que depende deste inicializar a ação de pagamento.

Uma diferença entre pagamentos em dinheiro é que, com o Boleto Bancário, os consumidores também podem pagar com seus serviços bancários online. Depois que o pagamento é feito, uma confirmação de pagamento é fornecida em tempo real, enquanto o financiamento pode levar um período adicional.

Quando pago após o prazo final, o cliente deve pagar uma taxa que aumenta diariamente e seu valor varia de instituição para instituição.

Além da taxa, após a data de vencimento, o cliente só pode pagar o boleto no banco que o emitiu, perdendo a opção de pagá-lo nos correios, casas lotéricas ou qualquer outra instalação.

Taxas para emitir boletos

As instituições financeiras cobram uma taxa por cada boleto pago pelo cliente. Essa taxa varia, dependendo da instituição financeira. Se a cobrança for registrada, o banco também cobrará uma taxa por cada boleto emitido, independentemente de ter sido pago ou não. Portanto, a coleta não registrada é mais adequada para transações online.

A instituição também leva em consideração o tamanho do cliente, para que um cliente com maior volume de transações bancárias, que trabalha com a instituição há algum tempo, etc., possa obter taxas mais baixas ou até isenção de taxas. Portanto, é importante consultar a instituição sobre as taxas envolvidas.

Tome muito cuidado: empresas golpistas geram boletos online para pegar seu dinheiro, de forma “gratuita”. Só use serviços confiáveis e devidamente registrados no Banco Central.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)