Os fundos de investimento devem seguir um conjunto de regras estabelecidas pela CVM e pela Bolsa de Valores. Além disso, um fundo de investimento possui características específicas, como cotas e taxas de administração, além de administrador e gerente. As principais características de um fundo de investimento estão detalhadas abaixo, inclusive a cota de resgate.

Administrador  e gerente de fundo de investimento

O administrador é legalmente responsável pelo funcionamento do fundo. Ele defenderá os interesses dos cotistas e se comunicará com eles. O administrador precisará necessariamente ser um corretor, corretora, banco de investimento ou banco de múltiplos ativos. O administrador escolhido cuidará de todos os documentos e registros legais do fundo, além de examinar o sucesso de seu funcionamento interno.

Entre as obrigações de um administrador estão: o registro de cada cotista, as cartas oficiais convocando assembleias gerais, folhas de demonstração financeira e, acima de tudo, preservando o melhor interesse dos investidores, não permitindo transações que possam pôr em risco os ativos do fundo; entre outros.

O administrador de um fundo é uma instituição responsável pela compra e venda de seus ativos para garantir a melhor rentabilidade possível, sempre de acordo com as regras, políticas e objetivos do fundo. O gerente pode ser um banco ou uma empresa independente, ou mesmo uma pessoa real, desde que possua registro na CVM. Ele será responsável por escolher quais ativos investir, quais porcentagens comprar ou vender e o momento certo para sair de um investimento específico.

Caso o fundo fique “fora de enquadramento” – o que significa que seu portfólio é diferente do definido pelos regulamentos internos do fundo – o gerente terá que fazer as alterações necessárias para garantir que as regras sejam seguidas o mais próximo possível, no menor tempo possível possível.

Custodiante de fundo de investimento

O Custodiante é responsável por proteger os ativos do fundo. Ele encaminhará dados e informações aos administradores e gerentes, além de ser o responsável pela marcação a mercado de todos os ativos do portfólio do fundo. Geralmente, isso é feito pela CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (ou Companhia Brasileira de Custódia e Liquidação, na perda de transição). Portanto, se o administrador falir, todos os fundos sob custódia da CBLC permanecerão seguros.

Fundo de investimento e cotas

Um fundo de investimento pode ter uma cota de saque que deve ser respeitada pelos seus membros. (Foto: Live Bitcoin News)

Detentor de cota ou cotista de fundo de investimento

Um cotista é um investidor que coloca seus recursos no fundo. Para fazer isso, eles precisam comprar uma certa quantia de cotas do clube ou fundo de investimento de sua escolha: lembrar que o dinheiro será pago não apenas pelas cotas, mas também pelas taxas administrativas e outros encargos que garantirão que o administrador tenha dinheiro para pagar. coordenar o fundo e gerenciar os recursos no mercado financeiro.

Ao comprar cotas em um fundo, o investidor concorda em estar sujeito aos regulamentos do fundo, incluindo níveis mínimos de investimento, horários e datas para investimento e saída, despesas compartilhadas e outros. Eles também terão os mesmos direitos que os outros detentores, independentemente de quantas cotas foram adquiridas.

Todos e todos os cotistas devem estar cientes das metas do fundo – ou seja, suas políticas de investimento, taxas de administração e desempenho (se existentes), pré-requisitos para saída (se existentes), além de receber balanços mensais dos detalhes do investimento: cotas valor, valor patrimonial líquido do fundo, composição tipográfica e rentabilidade das demonstrações de carteira e imposto de renda.

O cotista deve assinar um Termo de Conformidade, informando que recebeu os regulamentos do prospecto e do fundo e está ciente das políticas de investimento do fundo – bem como de todos os riscos envolvidos.

Nenhum cotista pode deter mais de 40% de um fundo.

Auditor independente

Todos os fundos devem ter um auditor independente para verificar todas as contas do fundo pelo menos uma vez por ano. O trabalho do auditor independente consiste em verificar se o fundo cumpriu seus regulamentos, bem como quaisquer regras e regulamentos do mercado. Verificar os resultados do fundo também está entre as obrigações deles.

Cotas e cota de resgate

As cotas são uma parte dos ativos líquidos de um fundo de investimento. São indivisíveis, registrados e registrados em livros contábeis e não podem ser transferidos ou desistidos, exceto por ordem judicial.

Quando um investidor coloca recursos em um fundo específico, está comprando cotas nesse fundo. Os valores dessas cotas (e, portanto, seu custo de compra) são calculados diariamente porque os ativos do fundo incorrem em lucro diário de acordo com os investimentos feitos por esse fundo no mercado financeiro. Os valores mudam, mas um investidor sempre mantém a mesma quantidade de cotas, exceto:

  • Se o investidor resgatar todo ou parte de seu investimento, reduzindo assim o número de cotas;
  • Se o investidor coloca mais dinheiro no fundo, aumentando seu número de cotas;

A retenção de imposto de renda foi realizada pelo fundo (que ocorre no último dia de maio e novembro de cada ano). O imposto de renda devido por cada investidor é deduzido de suas cotas em um processo conhecido como “comer quotas”, reduzindo assim o número total de cotas que eles possuem;

Para calcular o valor de uma cota, o investidor precisa apenas dividir o total de ativos líquidos do fundo pelo número total de cotas existentes. Ao multiplicar o valor por cota pelo número de cotas, o investidor saberá quanto dinheiro investiu no fundo, antes dos impostos.

A data da cotização é o dia em que os recursos aplicados no fundo de investimento são convertidos em cotas ou cotas são convertidas em reais. Quando você ver o escrito cota de resgate D + NÚMERO, significa que após a data da ordem de resgate da cota, você terá a conversão de cotas em reais em NÚMERO de dias após a ordem.

Exemplo: cota de resgate D + 1 significa que você terá a conversão e a possibilidade do saque no dia seguinte à solicitação.

Come cotas

O come cota nada mais é do que uma espécie de imposto de renda antecipado vinculativo. Sua dedução sempre acontece no último dia de maio e novembro, ou seja, duas vezes por ano. Essa cobrança antecipada de imposto é assim denominada porque diminui o valor total das cotas, ou seja, o valor que você possui sempre diminui quando ocorrem as cotas iniciais.

Não há incidência de cotas em fundos de ações, e o pagamento do Imposto de Renda sempre resgata o pedido, à alíquota de 15%.

Fundos para investimentos de longo prazo, a taxa de cotas futuras é de 15%. Para fundos de curto prazo, a taxa é de 20%.

O imposto de renda é calculado diariamente e acumulado em sua conta. A cada seis meses (maio e novembro), são aplicadas as taxas mais baixas da tabela de IR regressivo de cada tipo de fundo, o cotista sobre o rendimento. Portanto, se seu aplicativo atingir a taxa mínima de imposto, essa disposição deixará de existir. Lembre-se de que não há dupla tributação nas cotas iniciais. Por exemplo, se o seu aplicativo permanecer investido por tempo suficiente para atingir a menor taxa de imposto de renda, sem IR no resgate, o evento já ocorreu com o consumo de cotas. Caso contrário, se você resgatar antes de atingir a taxa mais baixa de RI, no momento do resgate, pagará apenas a diferença.

Taxas administrativas de fundos de investimento

A taxa administrativa cobrada visa servir como pagamento pelos serviços prestados pelo administrador. O valor normalmente contabiliza despesas com administração, consultoria de investimentos, tesouraria, controle e processamento de ativos, registrando todos os movimentos de cotas nos livros, entre outras coisas. Essa taxa é detalhada nos estatutos do fundo e geralmente é cobrada com base em uma porcentagem do total de ativos líquidos anuais do fundo (252 dias úteis). Essa taxa também é calculada diariamente, portanto, todos os extratos já representam esse valor retido do total informado.

Devido à sua natureza, a taxa administrativa afetará diretamente a lucratividade de um fundo – e isso sempre deve ser levado em consideração na escolha de um local para investir. Taxas que ultrapassam uma média de 1% a.a. já terá um impacto muito sério nos resultados.

Taxas de desempenho de fundos de investimento

As taxas de desempenho visam servir como pagamento pela capacidade exibida pelo administrador ou pelo gerente em superar a lucratividade prevista pelo indicador de referência do fundo. Como exemplo prático, em um fundo é referenciado a 104% da taxa DI e o gerente ou administrador consegue apresentar lucros mais altos, eles podem cobrar uma taxa por ultrapassar a marca inicial. No entanto, as taxas de desempenho não são cobradas por todos os fundos – nem são obrigatórias.

As taxas de desempenho somente poderão ser cobradas quando todas as outras despesas tiverem sido provisionadas. Eles geralmente são cobrados a cada seis meses e também são calculados e retidos diariamente.

Outras despesas de fundos de investimentos

Além das taxas administrativas e de desempenho, outras despesas e obrigações são devidas pelos fundos de investimento. Entre eles:

Despesas relativas a encargos públicos, impressão, expedição e publicação de relatórios

Impostos e taxas sobre ativos e outras propriedades do fundo – como impostos sobre os salários, por exemplo.

Despesas de envio

Despesas de auditoria independente

Possíveis taxas e encargos legais

Despesas de custódia e liquidação

Taxas bancárias

Encargos da Bolsa de Valores e da CVM

Taxas de entrada e saída

Embora ainda não seja comum no Brasil, a legislação local permite cobrar taxas de entrada e saída. Compromissos de investimento mais longos permitem a negociação de títulos de longo prazo e, portanto, um maior lucro possível.

Estatuto social do fundo de investimento

O regimento interno de um fundo de investimento é um documento em que todas as regras e princípios operacionais deste clube ou fundo de investimento são declarados. Aqui, serão detalhadas as regras e regulamentos aos quais o administrador e o gerente estão sujeitos, bem como políticas de investimento, requisitos mínimos de investimento, assembleias gerais e outros. Os detalhes básicos disponíveis em um desses documentos são:

Nomeação de um administrador, gerente e custodiante

Período de duração: determinado ou indeterminado

Políticas de investimento (principais diretrizes da carteira, possíveis restrições à negociação de derivativos e outras)

Recursos administrativos e de desempenho (se existentes)

Todas as funções e custos operacionais

Regulamentos e mandatos de gestão

Regras para convocar e conduzir assembleias gerais

Etc.

O estatuto pode ser alterado pelas assembleias gerais. Todas as alterações entrarão em vigor após 30 dias, exceto se de outra forma provisionado pela totalidade dos cotistas.

Cadastro no CVM, assembleias e mais

Todos os fundos precisam ser registrados na CVM. O registro pode ser feito pelo site pelo administrador: mais detalhes estão disponíveis na página oficial da CVM.

A assembléia geral de acionistas é uma assembléia para discutir sobre certos assuntos relacionados ao fundo, como:

  • Relatórios financeiros
  • Substituição do administrador ou gerente (se este foi eleito inicialmente por uma assembléia geral)
  • Fusão, incorporação, cisão, transformação, dissolução ou liquidação do fundo
  • Aumento das taxas administrativas
  • Mudança nas políticas de investimento do fundo
  • Mudanças no estatuto

As assembleias gerais são convocadas anualmente, até 120 dias do final do mandato atual. Pode ser realizada por videoconferência, teleconferência ou pela internet. A reunião pode ser convocada pelo administrador, por uma solicitação feita pelo gerente ou por solicitações dos cotistas – desde que o grupo que requer a reunião represente nada menos que 30% dos titulares ou o valor total das cotas emitidas.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)